Feeds:
Posts
Comentários

E eu como mulher que adora futebol estou empolgadíssima,digam o que quiserem!haha! Que eu estou contando os minutoos pra ver os uniformes que achei mais bonitos em movimento,ver aqueles que não achei tão legais se tornarem legais pelo gingado,ver uma pá de jogador bonito interessante e,claro, pra ver os jogos também,que eu adoro mesmo!

Não que eu tenha amado nossa convocação,cá pra nós conto nos dedos de uma mão quem gostou, mas aquela é a que tem pra hoje e pela qual vou torcer!O que não me impede de estar na expectativa pra ver uma Holanda( tá vendo?),uma Alemanha,um Portugal, uma Espanha e até uma argentina jogarem. Assim bem clichê mesmo.

Meus uniformes preferidos?

  • Alemanha

Sempre acho o uniforme da Alemanha classudo.Okey,sou suspeita e já os acho mesmo classudos de toda forma, mas vocês também não tem a impressão que um homem cresce dez metros com esse 2º uniforme?? É ele o meu preferido.

  • Brasil

Okey,o amarelo é bonito. Mas eu simplesmente A-MEI esse azul e ao vivo ele é uma coisa de lindo! As bolinhas amarelas em contraste com o azul é muito divertido,achei uma inovação bem boa! Queria que cada um de vocês vissem essa camisa ao vivo agora,que eu adorei mais que por foto!

E talvez eu serei apedrejada,mas adorei e quero é mais ver o brasil jogar de preto! Inovar meu povo,é isso que a gente precisa dentro de campo e fora dele! Sério,mais uma vez,achei elegante mesmo,ponto.

  • Espanha

Quase sempre adoro os uniformes da Espanha.Apesar de,muitas vezes, me parecer o mesmo, gosto muito do jeito que as cores são utilizadas. Fora que,vocês também imaginaram os espanhóis dentro desses uniformes?Colírio.

  • Argélia

Será que vou ser jogada pra arder no mármore do inferno por ter achado interessante e gostado desse uniforme da Argélia? Principalmente o 2º! O único porém que acho é essa “moda” atual de camisa muito ajustada. Me dá um nervosiiismo!Prontofalei. Sério,camisa de futebol pra mim é pra ser leve,solta,com movimente,sabe? Sei lá,não é nem rugby.hahaha

  • Inglaterra

Classe,classe,classe até dizer chega. Essa camisa branca é muito linda. Apesar de levemente batida( e desbotada) por já ter visto bastante,né cálega , não tenho como mentir e dizer que não é um dos melhores uniformes já feitos. De verdade. O caimento e o tecido são uma coisa à parte,muito muito bons!O algodão(???) de fora é uma coisa. Fora que esse minimalismo me ganhou e não é de agora.Sério,se gostar de camisas esportivas e puder,carregue essa pra casa porquê é um espetáculo! =D

Essa é uma leve opinião feminina sobre alguns uniformes que chamaram minha atenção.Ainda tem mais,mas coloco num próximo post.

E vocês mulheres,que curtem ou não,o que acham???

Há um tempo,lendo a Marie Claire, vi uma matéria falando da série criada pela canadense Dina Goldstein chamada “Fallen Princesses” ,onde ela coloca as princesas dos contos de fadas em situações um tanto inusitadas e mais atuais.  Situações com as quais muuuitas mulheres de hoje podem se identificar em maior ou menor grau…

Ela coloca uma Branca de neve com vários filhos pequenos e um marido-príncipe que não se envolve.

Uma Rapunzel enfrentando um câncer e sem as tranças..

Uma gata borralheira abandonada e que tem o álcool como melhor amigo…

Uma Bela que vive em função da beleza..

Entre outras situações  bem tristes mesmo até,mas que servem,talvez,pra abrir os olhos pra idéia de que,apesar de a magia dos contos ser belíssima, está longe da vida real,ainda mais da vida real das mulheres de hoje com mil e uma atribuições.

Então,mais interessante que gente com visões diferentes sobre assuntos já tão batido, é descobrir perto de mim gente que transmite algo parecido. Foi assim quando cheguei ao BNB( Centro Cultural Banco do Nordeste) e me deparei com a exposição Boobbdi Babbdi Boo do Bruno Vilela. Na exposição ele procura justo desconstruir essa imagem do felizes para sempre,do mundo belo e perfeito e procura inserir a desmistificação de alguns ideais pregados desde sempre pra gente. E faz isso da forma mais chocante,ele desconstrói essa imagem colocando as princesas machucadas,sangrando, que induz a pensar sobre a tradição e o que nos é imposto…

Olhem vocês algumas imagens:

A Branca de neve sangrando.

Chapeuzinho Vermelho com a roupa suja de sangue,meio assassina..hehe

Há quem diga que é muito chocante e pesado,mas eu acredito que a idéia do artista foi essa mesmo.Chocar.Chamar atenção pra idéias que vêm lááá do começo dos contos de fadas,quando assuntos como incesto,assassinatos,adultérios faziam parte desse universo…

Eu me choquei de primeiro com as imagens.Mesmo.Descontrói toda a infância de uma pessoa se deixar não? Mas pensando depois e tentando interpretar a idéia que se quer passar,eu passei a gostar.Fora que as imagens do Bruno são sim muito bonitas.A pele branca da Branca de Neve em contraste com o vermelho do sangue é interessante e me deixou olhando por um bom tempo…

A quem interessar possa,o Bruno Vilela é pernambucano e tem um post muito bom sobre ele e sobre a exposoção aqui. A exposição fica no BNB até o dia 4 de junho.

E vocês,que visão tem sobre essas leituras?

Muiiito se falou nas duas últimas semanas sobre o Festival Coachella,que aconteceu entre os dias 16 e 18 de abril na Califórnia..Mas o que eu não consegui tirar da cabeça mesmo foi o nome Charlotte Gainsbourg depois de ter escutado uma música dela na rádio e de saber que ela também se apresentou no festival.

Talvez vocês reconheçam de quem se trata pelo sobrenome né? Explico: a moça é filha de ninguém menos que Serge Gainsbourg e de Jane Birkin. Sendo filha de quem é,seria difícil para Charlotte não se destacar ou ser completamente normal acho eu..Ela é atriz,já reconhecida na França, por diversos filmes,tendo inclusive ganhado o Palma de Ouro de melhor atriz por sua atuação em Antichrist do dinamarquês Lars Von Trier.

Charlotte parece que realmente misturou em si uma parte do pai e uma parte da mãe,e aqui não falo só de genes. Serge Gainsbourg talvez não seja tão conhecido da minha geração,e admito que só fui ler mais a respeito dele por causa de Jane Birkin, mas um cara que influenciou tanta gente de uma geração tem que ter mesmo um quê especial,além do fato de ter conseguido transitar em tantos campos da arte.Ele foi cantor,compositor,ator,etc,etc,etc. Talvez o típico boêmio genial francês.Já Jane Birkin é inglesa, e deve ser mais conhecida por nós mulherzinhas pela famosa bolsa da Hermès, a Birkin,é uma belíssima atriz,cantora,também bem múltipla como Serge.

Foto: daqui

Jane e Serge numa foto que podia ser de ontem em Paris né? Olha aí Jane com as botas acima dos joelhos que o povo tá todo falando e usando?Na realidade,ela toda podia se teletransportar pro momento atual né. Moda cíclica mesmo.

Então,dessa mistura cultural,provocativa, saiu Charlotte. Dona de uma voz meio melódica,leve,ela se apresentou no Coachella com seu novo álbum IRM,que é a sigla francesa para ressonância magnética. Ela começou a pensar nesse álbum no hospital,após sofrer um acidente  e diz que o barulho da máquina a inspirou. O que não deve inspirar essa moça ein?

Ela apareceu a primeira vez com a vozinha doce no começo da música ‘what it feels like for a girl’ da Madonna.Somente né? Depois gravou o álbum 5:55 e agora o IRM com o músico americano Beck.

Fora que estilo parece que vem mesmo,muitas vezes, de berço. Charlotte é dona de um estilo leve,meio boho,parece que vai flutuar,feito ela sabe?Fora o ar chic francês que é inegável.

Ela é daquelas atrizes  que  topa aqueles roteiros que algumas talvez não tivessem coragem,e o faz com maestria. Antichrist,filme pelo qual foi premiada com o Palma de Ouro, foi comentadíssimo e chocou mesmo os menos conservadores. Como ela mesma fez questão de dizer: “O filme não é nada comportado. Tudo é extremo, quase ‘gore’, quase pornô. Filmamos muitas cenas de sexo e esquecia o pudor. Eu não tinha mais nenhuma barreira”. Talvez ela se sobressaia aí: pela quebra de barreiras e por quebrar o medo e sair do comum. Se o sobrenome tem influência nisso?  Só tem,mas a moça conseguiu levar isso adiante e continuar chocando,assim como seu pai fez,mas à sua maneira.

Charlotte no Coachella Festival.

Deixo vocês com essa bela imagem de Jane e Serge,só pra dizer: sabia que Jane usava uma cesta(choca!) antes da Hèrmes criar uma bolsa pra ela?

PS.:Texto muito bom sobre a Charlotte,do Fernando Eichenberg e site espetácular (super inspiração viu? TANTA coisa atual que você nem imagina!Fora a beleza das imagens!) com mil fotos da Jane e do Serge.

Imagem da semana!

Bem,eu adoro ver imagens em geral,seja de design,fotografia,arte ou sei lá o quê.Simplesmente sempre tenho uns linkzinhos sagrados onde vejo imagens legais.

Daí resolvi compartilhar a imagem preferida,ou até mais de uma, toda semana!

Essa de hoje é do lookbook da LF Stores e me deixou apaixonada! Tanto devido a iluminação quanto as cores,mas principalmente pela leveza que transmite.Fora que,as idéias da coleção inteira estão meio disseminadas nessa única foto: O floral, a mistura do urbano mais pesado com a leveza da natureza…

Enfim,adorei.E vocês?

Foto: LF

A Camila do Garotas Estúpidas cantou a pedra no último post lá de NY e comentou que a Arezzo já tinha uma versão tupiniquim de uma sandália vazadinha.

Daí,vendo o portal O Estilo vi link com a nova coleção da New Order,também cheia de vazadinhos!Mas, no caso, a New Order foi além e colocou os vazadinhos de forma mais descontraída em vááários acessórios,não só nos calçados!Diferente do estilo mais classudo da Arezzo, a New Order vem com mais jovialidade e leveza,o que é bem a cara da marca mesmo não é?

Foto: do FFW

Mais fotos do desfile e dos vazadinhos em tu-do aqui ó:

Desfiles // FFW Fashion Forward.

Super inconsciente coletivo ou rapidez coletiva mesmo? haha

Isso é uma ordem! Team Aidan!

Quem já gastou pelo menos uns 15 minutinhos para ler um pouco sobre o Jum(íntima), entende porquê o cara é admirado por quem entende de moda,por quem gosta de arte em geral e por  pessoas leigas como eu.

Mais que estilista,Jum tem uma visão sobre a moda,e sobre a moda como arte, espetacular,transmitindo-a através de suas criações,sejam elas roupas ou objetos de decoração.

O que me fez ler mais,novamente, sobre o Jum foi uma matéria da Bravo que fala da criação do figurino super geométrico  do espetáculo Os Duplos, todo desenvolvido por Nakao.Como vocês já devem ter percebido, adoro pessoas que mais que roupas produzem conceitos e idéias, e a criação de um figurino é justo isso,aliado,claro, à funcionalidade necessária para cada espetáculo.Alguém deve se lembrar também do belíssimo figurino da série Hoje É Dia De Maria, também feito de forma mágica por Nakao.

Fora do circuito tradicional da moda brasileira ( melhor conhecido como SPFW e afins) desde 2004,quando colocou modelos vestidas com roupas trabalhadíssimas,feitas,porém,de papel.Essa foi,pra mim, uma demonstração clara da sua visão o sobre sistema (criação,desenvolvimento,informação…) de moda no Brasil, onde Nakao mostrou mais uma vez,pelo menos ao meu ver, que está aí para ser a diferença.

Quem vê fotos de Jum Nakao imagina apenas aquelas seriedade nipônica,mas vendo o vídeo Ar de Paris em que ele e sua equipe são acompanhados desde a saída até a chegada e o desfile em Paris, o que eu vejo mesmo é um cara tranquilo,comilão e divertido. A diferença é que, ao trabalhar com a moda, Nakao quer tirar dela mais que apenas roupas,ele quer mostrar mais embasamento,conceito,talvez. Sinto,vendo as fotos do desfile,que ele quer estimular a criticidade e criar uma moda bra-si-lei-ra, com um espírito e com um cerne próprios.E não inspirados ou copiados.

Isso,acredito eu, ele deixa bem claro em entrevista ao G1,onde diz que : ” ..em termos culturais somos reféns das tendências internacionais, ficamos a espera dos movimentos que vêm de fora. É uma relação de comensalismo,vivemos de restos.”

Mas e A Costura do Invisível? Mais que um desfile, foi a construção de um paradigma(como bem falou Ricardo Oliveros aqui),que realmente não acabou nas fotos(e só nelas,já que as roupas não mais existiam).Prova disso foi o desenvolvimento do livro e do documentário,que continuam reverberando o desfile e o trabalho de Jum Nakao como um todo.

O desfile é de uma leveza e transmite justo o que Nakao fala: o efêmero também pode permanecer. Isso não podia se tornar mais claro e palpável pra quem assistia do que ver todo o trabalho de 6 meses(quem também não se perguntou COMO ele conseguiu criar detalhes tão delicados e pequenos em papel?) ser destruído em trinta segundos,ao final do desfile com as modelos rasgando as “roupas”.

Atualmente Jum Nakao não possui mais sua marca, física diga-se de passagem,pois acredito que o nome dele e sua reputação já é mais do que sua marca.Ele atua nos bastidores ministrando cursos de pós-graduação e nas mais diferentes áreas da arte e da educação,tendo desenvolvido desde figurinos de peças a estantes e poltronas.Segundo o próprio Jum em entrevista ao G1: “Hoje meu trabalho é mais voltado para o desenvolvimento de uma cultura de moda do que produtos de moda. Ter uma grife com um trabalho autoral se tornou cronicamente inviável dentro deste nosso mercado.”

Enfim,nada melhor que o próprio Jum falar de seus trabalhos e do seu ponto de vista,nesse vídeo do G1.O link porquê não consegui colocar o vídeo,se alguém quiser me ensinar,obrigado desde já.Hoho.

Alguns outros trabalhos de Jum Nakao:

Foto: Gui Mohallem

Deixo também o link de uma entrevista bem esclarecedora com Jum no G1.

Bem,admiração não resume,ainda mais quando se observa que quem se admira tem horizontes mais amplos do que o que a gente havia percebido antes. Tem como não adorar um cara que diz: nunca confie em um designer que não cozinha e não bebe vinho???haha =DD